05/11/2018 

Vereador é preso por suspeita de tráfico de drogas

Por DIÁRIO CATARINENSE

Armas, munição, dinheiro e celulares foram apreendidos durante a operação. Foto: Polícia Civil - Divulgação Foto:

O vereador Adriano Jonatas Dallagnol (PSDB), de Pinhalzinho, foi preso temporariamente na manhã deste sábado no Oeste catarinense por conta da Operação Retomada, da Polícia Civil. Ele é suspeito de integrar uma organização criminosa que distribuía drogas na região Oeste, notadamente cocaína e ecstasy. Também foi preso preventivamente um irmão do vereador. 

A polícia também cumpriu seis mandados de busca e apreensão. Durante as buscas, foi preso em flagrante o pai do vereador, pelos crimes de posse irregular de arma de fogo de uso permitido e de posse ilegal de arma de fogo de uso restrito. Um jovem de 20 anos foi detido por associação para o tráfico.

 

O advogado do vereador e de seu irmão,  Daniel Decesaro, disse que a defesa só deve se pronunciar sobre as prisões na semana que vem, já que não teve acesso aos autos do inquérito. 

Responsável pelas investigações, o delegado Arthur Lopes afirmou que as prisões são fruto de um trabalho investigativo da  Delegacia de Polícia de Fronteira de Pinhalzinho.

— Foi apurado nos autos do inquérito policial que os dois irmãos fazem parte de associação criminosa voltada ao tráfico de drogas e distribuíam entorpecentes a outros traficantes, inclusive a menor de idade, cocaína e ecstasy. 

Ainda de acordo com o delegado, era comum a venda de drogas para jogadores de pequenos times de futebol locais:

— Os investigados tinham grande circulação nos times de futebol da região e comumente vendiam a jogadores, havendo relatos, inclusive, de alguns jogarem partidas sob o efeito da droga.

Deram apoio à operação policias civis das delegacias de Maravilha e de Modelo e militares do 2° Pelotão de Pinhalzinho e do Canil do 2° BPM. 

Foto: Câmara de Vereadores de Pinhalzinho - Divulgação






0 Comentários

REGRAS:
Os comentários feitos no Site são moderados. Seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Também não serão aceitos codinomes. O seu e-mail não será divulgado.

Comentários que não tenham relação clara com o conteúdo reportado, ou que tenham teor difamatório, calunioso, injurioso, de incitação à violência, que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica, que tenham característica de prática de spam, racista ou a qualquer ilegalidade, também serão vetados.

O Site não se responsabiliza pelos comentários dos leitores-internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às imposições acima.