20/08/2018 

Feminicídio: Estudante brasileira é torturada e morta na fronteira

Midiamax / Imagens: Reprodução/Facebook

Erika foi morta a facadas na fronteira - Foto: Reprodução/Facebook

O corpo da estudante de medicina Erika de Lima Corte de 29 anos, foi encontrado durante a madrugada desta segunda-feira (20), em seu dormitório em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã.

 

Erika era brasileira e cursava Medicina em uma faculdade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai.

 

A polícia foi chamada por uma amiga de Erika, que encontrou o corpo por volta da 0h30 desta segunda (20). A vítima tinha 13 pequenas perfurações de faca pelo corpo, o que levou a polícia paraguaia a crer que Erika tenha sido torturada antes de ser morta.

 

Três perfurações profundas foram encontradas no peito e uma no pescoço. A polícia também não descarta que a estudante tenha sofrido abuso sexual.

 

Segundo as autoridades policiais, o namorado seria o principal suspeito pelo crime. A faca usada para o assassinato, assim como o celular de Erika, foram levados pelo autor.






0 Comentários

REGRAS:
Os comentários feitos no Site são moderados. Seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Também não serão aceitos codinomes. O seu e-mail não será divulgado.

Comentários que não tenham relação clara com o conteúdo reportado, ou que tenham teor difamatório, calunioso, injurioso, de incitação à violência, que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica, que tenham característica de prática de spam, racista ou a qualquer ilegalidade, também serão vetados.

O Site não se responsabiliza pelos comentários dos leitores-internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às imposições acima.