13/08/2018 

Sem André, Odilon abre vantagem de 7,4 pontos sobre Reinaldo na Capital

Conforme levantamento do Instituto de Pesquisa Resultado/Giro MS, foram ouvidos 700 eleitores entre os dias 7 e 10 de agosto

O Jacaré / Imagens: Divulgação

Odilon aparece em primeiro na pesquisa realizada na Capital após as convenções - Foto: Divulgação

A primeira pesquisa eleitoral após as convenções e a desistência do ex-governador André Puccinelli (MDB), que está preso desde 20 de julho, aponta o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira (PDT) na frente em Campo Grande. A vantagem é de 7,4 pontos percentuais sobre o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), que busca a reeleição com apoio de 11 partidos.

 

Conforme levantamento do IPR – Instituto de Pesquisa Resultado/Giro MS,  que ouviu 700 eleitores entre os dias 7 e 10 de agosto deste ano e com margem de erro de 3,5%, no pesquisa estimulada, com a apresentação dos nomes, Odilon aparece com 27,29% na Capital, contra 19,86% do tucano.

 

A candidata à governadora Simone Tebet (MDB) surge em terceiro lugar, com 12,29%. Ela teve a candidatura definida na véspera do prazo final em reunião com o ex-governador dentro do presídio.

Pequisa do IPR Instituto de Pesquisa Resultado. Registro no TSE com o número MS-029028/2018. Foram entrevistados 700 pessoas com mais de 16 anos na Capital entre os dias 7 e 10 de agosto. A margem de erro é de 3,7% e o nível de confiança é de 95%. A pesquisa foi publicada pelo jornal O Estado de Mato Grosso do Sul

O quarto colocado é o ex-prefeito de Mundo Novo, Humberto Amaducci (PT), com 1,86%, seguido pelo ex-vereador e engenheiro Marcelo Bluma (PV), com 1,71%. O último colocado é o candidato a governador João Alfredo (PSOL), com 0,43%.

 

Conforme o IPR, 15,7% dos eleitores vão anular o voto ou votar em branco. Outros 20,86% estão indecisos. Os números mostram a desilusão do eleitorado com os atuais candidatos, considerando que 35% não querem nenhum dos nomes colocados até o momento.

 

A desilusão do eleitorado no início da campanha eleitoral vai exigir uma atenção redobrada das equipes de marketing, que terão a missão de convencê-los a votar nos seus candidatos. O eleitor não está só desiludido, como revoltado com as denúncias de corrupção envolvendo os principais nomes da disputa eleitoral.

Levantamento mostra que 60% dos eleitores ainda não estão totalmente decididos sobre os candidatos a governador neste ano

Odilon também lidera na espontânea, quando o nome do candidato não é apresentado ao eleitor. O magistrado aparece com 11,43%, em empate técnico com o governador, com 9,86%.

 

Simone surge em terceiro com 3,57%. Ela está empatada com André, que apesar de ser réu em duas ações na Operação Lama Asfáltica e estar preso há mais de 20 dias, foi citado por 3% dos eleitores da Capital, onde foi prefeito por duas gestões.

 

Neste cenário, 59,14% dos eleitores ainda estão indecisos, enquanto 11,29% sinalizam votar nulo ou branco. O levantamento revela que o cenário está indefinido, considerando-se que 60% dos eleitores ainda não estão totalmente decididos sobre em quem votar para governador de Mato Grosso do Sul.

Sem André na disputa, Reinaldo assume o posto de mais rejeitado, mas índice não expressivo aponto de comprometer a reeleição

O IPR apontou que Reinaldo assumiu o posto de mais rejeitado com a saída de André da disputa. O governador é rejeitado por 15,29% dos eleitores, apesar de ser o maior, o índice não é ruim para o tucano.

 

Simone ocupa o segundo lugar em rejeição, já que 8,43% dos eleitores dizem que não votaram nela de jeito nenhum. Amaducci herda a rejeição do PT, mas fica em terceiro lugar, com 5,43%.

 

Odilon é rejeitado por apenas 4,71%, número considerado baixo para quem está na liderança do levantamento na Capital, o maior colégio eleitoral do Estado.

 

De acordo com a pesquisa, 9,43% dos eleitores rejeitam todos  os candidatos, enquanto 28,71% não rejeitam nenhum.

 

Ainda hoje, o Instituto Ranking deverá divulgar a pesquisa com a sondagem feita em 30 municípios e dará um panorama da situação no Estado.

Apesar da campanha ostensiva e da grande ofensiva em busca da reeleição, Reinaldo ainda patina e fica em segundo na Capital - Foto: Divulgação





0 Comentários

REGRAS:
Os comentários feitos no Site são moderados. Seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Também não serão aceitos codinomes. O seu e-mail não será divulgado.

Comentários que não tenham relação clara com o conteúdo reportado, ou que tenham teor difamatório, calunioso, injurioso, de incitação à violência, que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica, que tenham característica de prática de spam, racista ou a qualquer ilegalidade, também serão vetados.

O Site não se responsabiliza pelos comentários dos leitores-internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às imposições acima.