19/04/2018 

Uma história de superação, perseverança e fé!

Nenão e a esposa Cidinha, em demonstração de superação e fé, pedalam da capital de MS até Nova Andradina

Redação Nova News,

Nenão e Cidinha percorreram 288,9km em 16 horas, 49 minutos e 41 segundos – Fotos: Divulgação

Dizem que as pessoas são movidas por paixões, pelos sentimentos, pelos desafios e, muitas vezes, pela fé. As pessoas são movidas pelo que elas acreditam!

Há cerca de 5 anos, o vice-prefeito Nenão e a esposa Cidinha descobriram a paixão pelo moutain bike e desde então, participam de passeios ciclísticos e trilhas na companhia de amigos e grupos como o Pata de Onça, e posteriormente, o Clube Galera do Pedal, no qual Cidinha é uma das fundadoras, juntamente com Simone Neves, Jaqueline Sartori e Cristiane Sena.

Em outubro do ano passado, numa viagem a Aparecida do Norte para agradecer as bênçãos recebidas, movidos por um sentimento de gratidão e de fé, Nenão teve a ideia de encarar o desafio de percorrer quase 300 quilômetros em cima de uma bicicleta na companhia da sua fiel companheira de pedalada, a esposa Cidinha.

O ponto de partida escolhido pelo casal foi o Clube da Caixa, situado às margens da rodovia MS-276 saindo da capital de Mato Grosso do Sul, Campo Grande até a sua cidade de origem Nova Andradina (MS-134). Assumido o propósito da viagem, o qual eles guardam somente para si mesmos, começaram os estudos para colocar o pé (e as bikes) na estrada.

Após quase seis meses, o planejamento estava pronto e Nenão e Cidinha partiram para a aventura na última sexta-feira, 13 de abril. O vice-prefeito conta que fez o levantamento dos trechos mais críticos, procurando atalhos, acostamentos, guard rail e trilhas por estradas não pavimentadas.

 

“Os atletas da mountain bike não gostam do asfalto e nós não somos diferentes, mas em alguns trechos não tinha como fugir. Então, tivemos três desafios: andar por um rodovia, em meio a muitos veículos e caminhões pesados; estarmos sozinhos nesta estrada, sem a companhia de colegas, correndo riscos de assalto ou acidentes e o desafio de não ter apoio durante todo o percurso, já que em todos os passeios e trilhas sempre tivemos os pontos de apoio com água, alimentos, primeiros socorros, enfim, total suporte”, conta o atleta amador.

Assim, o casal teve a colaboração da ciclista e proprietária de uma empresa de suplementos alimentícios e produtos naturais, Iracelis Becegato, na preparação alimentar e dicas de suprimentos para levar, de maneira a garantir força e energia para todo o trajeto.

Plano de viagem

O percurso de 288,9 km foi dividido em três etapas. No primeiro dia, sexta-feira (13), Nenão e Cidinha saíram às 5h30, do Clube da Caixa Econômica Federal, situado na saída de Campo Grande com destino a Nova Alvorada do Sul, onde pernoitaram num hotel. A distância percorrida foi 105 km. Foram 5h40min pedalando, com média de 18,4km/h.

 

O 2°dia da jornada foi o mais difícil, já que percorreram 125 km de Nova Alvorada do Sul até Nova Casa Verde. Neste dia, Cidinha disse que contaram com a ajuda das filhas e do genro, que moram na capital e vieram à Nova Andradina para um evento. “Eles pegaram nossa mochila com roupas no hotel em Nova Alvorada e deixaram no hotel de Casa Verde. Assim, não tivemos que carregar o peso nas costas”, relembra. “Foi o único apoio que tivemos”, emenda.

No primeiro trecho, eles percorreram 40 km até o posto 210 e seguiram até o restaurante Casarão, na entrada do Ipezal por mais 20km. “Neste local, estávamos no meio do caminho, a 65 km do destino, quando entramos no período mais crítico, próximo das 10 horas da manhã, por conta do sol quente e também devido à falta de opções de parada”, conta Cidinha.

Por volta das 12h30 do sábado, no famoso km 152, o casal viveu o momento mais tenso da viagem, quando ficaram quase sem água. “O restinho que tinha estava bem morna. Sentamos num banco de ônibus e começamos a rir. Fisicamente estávamos cansados, mas a mente não se entrega. Já tínhamos percorrido 98 km. Foi quando a Cida olhou para o lado e visualizou um trator há 300 metros. Na hora ela disse: vem vindo um anjo trazendo água pra nós. E, realmente, ao chegar tinham um garrafa vermelha, com a torneira em baixo, cheia de água, super gelada. Bebemos muito e ainda abastecemos nossas garrafas e deu um gás para chegar ao Posto da Torre, onde chegamos às 14 horas e 15 minutos”.

 

Neste local, a parada foi mais longa. Fizeram um lanche e descansaram até próximo das quatro da tarde, quando partiram em direção a Casa Verde, distante 14 km. Eles pernoitaram novamente num hotel e, no 3° e último dia da pedalada deixaram o distrito rumo a Nova Andradina, às 6 horas da manhã. Às 10 horas, estavam entrando na cidade, com o sentimento de dever cumprido e, de quebra, na bagagem, muitas histórias para contar.

Nenão e Cidinha percorreram 288,9km em 16 horas, 49 minutos e 41 segundos. Para profissionais de mountain bike, não seria nada extraordinário, porém, para quem pratica o esporte de forma amadora, o desafio é grande.

Como disse Cidinha, “é preciso acreditar em si mesmo, acreditar em algo muito maior, ter fé, ter coragem e força de vontade. Viemos muito mais fortalecidos, acreditando mais na capacidade do outro e na nossa própria. Durante todo o percurso nossos pensamentos eram nossos filhos e o poder de Deus em nossas vidas. O vínculo que temos é ainda mais forte”.

Para Nenão, esta viagem mostrou o verdadeiro sentido de superação. “Somos mais fortes do que pensamos e, às vezes, é preciso uma prova de fogo para nos fazer descobrir nosso poder de superação”, completa o vice-prefeito.

Como está escrito no dicionário superação pode é a “ação superior, ação de superar a si mesmo e às adversidades”. Mas, por traz da ação existe sempre uma postura positiva diante da vida e um outro sentido para a palavra desistir: deixar de existir”.

Sem dúvida, eles construíram uma história de aventura e fé, e porque não dizer, de exemplo de perseverança e de que vale a pena viver o que acreditamos. Afinal, as pessoas são movidas pelo que elas acreditam!






0 Comentários

REGRAS:
Os comentários feitos no Site são moderados. Seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Também não serão aceitos codinomes. O seu e-mail não será divulgado.

Comentários que não tenham relação clara com o conteúdo reportado, ou que tenham teor difamatório, calunioso, injurioso, de incitação à violência, que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica, que tenham característica de prática de spam, racista ou a qualquer ilegalidade, também serão vetados.

O Site não se responsabiliza pelos comentários dos leitores-internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às imposições acima.