08/03/2018 

Diretor de esportes diz que treinador preso em Taquarussu não fazia parte do quadro da Prefeitura

Treinador apontado inicialmente como suposto professor de escolinha de futebol foi preso nesta semana

Luciene Carvalho, Redação Nova News

Diretor de Esportes Marcos Cezar de Andrade: Foto Facebook

Logo que a matéria foi ao ar, a secretária de Educação de Taquarussu, entrou em contato com a redação do Nova News ao ser procurada pela manhã para dar esclarecimentos sobre o suposto professor de uma escolinha de futebol que foi preso nesta semana.

 

A titular da pasta expôs que seria necessário procurar diretamente o diretor municipal de esportes, Marcos Cezar de Andrade, a fim de explicar qual seria a ligação do treinador com a Prefeitura.

 

No início da tarde, a reportagem conseguiu falar com o diretor que expôs inicialmente que o treinador preso na última segunda-feira (5) não fazia parte do quadro de funcionários da Prefeitura Municipal.

 

Andrade detalhou que em Taquarussu existe uma escolinha de futebol há cerca de quatro anos em que o professor não se trata do homem que estava sendo procurado pela justiça e que acabou preso durante o cumprimento de um mandado de prisão pela Polícia Civil de Nova Andradina.

 

Conforme explicado pelo diretor, o suspeito morava próximo ao campo de treinamento e pediu autorização para utilizar o local. “Trata-se de um local público que não há como fazer nenhum tipo de impedimento para quem queira utilizá-lo. Obtivemos conhecimento de que ele passou a treinar crianças no campo nos dias em que não usávamos o local para treinar as crianças da escolinha. Pelo que se sabe, ele era um voluntário e trabalhava por conta”, enfatizou Andrade. Segundo ele, cerca de 30 crianças participavam dos treinos oferecidos pelo treinador que não tinha formação na área.

 

O Nova News teve ainda acesso à informação que o treinador chegou em Taquarussu no final de novembro com a família. Pelo apurado, a esposa já era conhecida na cidade por ter parentes em um assentamento. Inicialmente, ele trabalhava como pedreiro e de repente começou a fazer os treinamentos.

 

Quando eu soube da prisão, estava em Campo Grande com o prefeito e nem sequer sabia o motivo da polícia estar à sua procura. “É importante esclarecer que qualquer funcionário que for contratado para trabalhar na Prefeitura, especialmente para trabalhar em projetos sociais que trabalham com crianças, tem a vida pregressa checada, especialmente no que diz respeito a ter antecedentes criminais. Trabalhar com crianças é algo extremamente sério em que a responsabilidade de todos envolvidos é muito grande”, detalhou Andrade à reportagem.

O caso

Conforme noticiado com exclusividade pelo Nova News, o caso envolveu a prisão de um treinador apontado inicialmente como suposto professor de uma escolinha de futebol no município. O fato quebrou a rotina pacata de quem vive no município e causou preocupação para pais de crianças que amam o esporte.

 

A prisão aconteceu na última segunda-feira (5) em que a polícia não quis se pronunciar sobre o assunto. Procurado pela reportagem, o delegado Luiz Antunes Quirino Gago afirmou que o caso está sob sigilo e disse que não poderia detalhar as circunstâncias dos fatos.

 

Extraoficialmente, a reportagem apurou que policiais civis efetivaram a prisão do suspeito em cumprimento a um mandado de prisão em aberto, expedido pela Comarca de Rio Brilhante, por crime de atentado violento ao pudor. Pelo apurado, ele se encontra preso no EPMNA (Estabelecimento Penal Masculino de Nova Andradina).






0 Comentários

REGRAS:
Os comentários feitos no Site são moderados. Seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Também não serão aceitos codinomes. O seu e-mail não será divulgado.

Comentários que não tenham relação clara com o conteúdo reportado, ou que tenham teor difamatório, calunioso, injurioso, de incitação à violência, que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas, com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica, que tenham característica de prática de spam, racista ou a qualquer ilegalidade, também serão vetados.

O Site não se responsabiliza pelos comentários dos leitores-internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às imposições acima.